MORTES E ACIDENTES VIOLENTOS | O TRÂNSITO DE PEDREIRAS PEDE SOCORRO

Jovem sofreu grave acidente nesta noite em Pedreiras. 
Quem será a próxima vítima dessa guerra louca no trânsito de Pedreiras? Ontem foi dona Doralice Silva, atropelada na rua que morava, mesmo atendida, evoluiu a óbito. Hoje foi o jovem Isaac Ferreira Cirilo, de 19 anos, morador da Rua Nova, Trizidela do vale, que em um grave acidente nas proximidades do Palácio Municipal, na passagem pelo semáforo, trombou com outro motociclista, lesionando seriamente o braço e a cabeça.

Nessa guerra louca, o cidadão há muito tempo perdeu o controle. O principal hospital da cidade todos os dias recebe vítimas dessa trágica batalha. Emergências, urgências, ambulatórios, sala de curativos, laboratórios e centros de hemoterapia são bem demandados para atender as necessidades desses soldados das ruas.

Esse fato é visto com extrema preocupação pelas autoridades de saúde, pois, muitas vidas estão sendo perdidas; leitos hospitalares entupidos com acidentados no trânsito e a fila por atendimento só aumentando. Em Peritoró, Presidente Dutra e Coroatá, nossas referências mais próximas para atendimento em ortopedia, traumatologia, neurologia e cuidados intensivos de saúde, a cada dia ficam mais lotados por receberem esse tipo de cliente. E, a qualidade do serviço prestado pelo Estado e Municípios só piora.

Mas, por que tantos acidentes de motos?

Corpo de Bombeiros realizando resgate
Sabe-se que os acidentes envolvendo motos já são a principal causa de ocorrências de trânsito no país, ultrapassando os atropelamentos de pedestres. Atualmente, mais de metade das internações pelo Sistema Único de Saúde (SUS) são de motociclistas, que respondem por três quartos das indenizações do Seguro Obrigatório de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (DPVAT).

Há vários fatores que sucedem diretamente nesta utilização maior das motos, que é um veículo que traz consigo um risco maior adjunto do que um veículo de quatro rodas. A falta de uso de itens obrigatórios de segurança, como capacete e calçado fechado. Além da cidade permitir exageradamente, pessoas pilotarem moto sem terem documento de habilitação. Estimo que em Pedreiras e Trizidela do Vale, nem 30% das pessoas que conduzem motocicletas sejam habilitadas.

Alguns estudos feitos no Brasil apontam que algo entre 73% e 88% dos acidentes de moto acontecem por imprudência dos motoqueiros, que somados à imperícia nos gabinetes do executivo municipal, no parlamento local, no Judiciário e na cabeça de muita gente, ainda farão com vivenciemos muitos momentos de lamentações.

Com a frota crescente de motocicletas, Pedreiras e Trizidela do Vale vão ficando comprimidas no meio de tanta bagunça e falta de comando. E, com tanta gente “impotente” nessa cidade, vamos assim caminhado. Parece que o “RISCO X BENEFÍCIO” da motocicleta circulando pelas ruas é a regra a seguir: vamos administrando! Enquanto não me fazer mal...

Ta aí! Um grande desafio para o novo Governo Municipal: colocar esse trânsito nos eixos.
Comentários