ENCONTRAMOS NO FACE: OUTRO DIA... DA MINHA VIDA


Outro dia, o amigo Samuel Barrêto disse-me que sou um privilegiado por ainda morar na mesma rua em que fui criado. Sinceramente, eu ainda não havia pensado nisso, por mais que eu adore esse lugar. Mesmo não tendo os vizinhos de antigamente (alguns morando em outras cidades, outros já falecidos), o bairro Paris possui ainda o charme de sempre. Moro na casa onde minha avó paterna, Sinhá Corinto, viveu por muitos anos; e, devido a isso, ela fica sempre viva em minha memória. O local onde ela ficava sentada em sua cadeira de balanço, com o terço na mão, sempre rezando e fazendo caridades, não me sai da memória. Quem a conheceu, sabe do que estou falando. Minha querida avó tinha sempre as portas de sua casa abertas para qualquer um que chegasse: o mendigo, o doente, o estudante vindo do interior... todos tinham um lugar na casa daquela senhora. Jogávamos futebol todas as tardes no patamar da igreja e íamos nos hidratar no filtro do corredor da casa de minha “Vó ita” (era assim que os netos a tratavam, isso se deve ao fato da neta mais velha Socorro Raposo ter tentado chamá-la de vovó bonita). Todos os que estavam na casa, após o almoço, rezavam o terço com minha avó, talvez, não devido à religiosidade, mas sim ao respeito que todos tinham para com ela. À noite, na casa de meu pai, os “peladeiros” da tarde reuniam-se para jogar futebol de botão: Afonso, Liberal, Rone, Raule, Marquinhos e eu. O bairro Paris é bem centralizado e perto de tudo de bom que há na cidade. Temos como exemplo o mercado Central da cidade com todas as delícias que só lá tem: um café quentinho, um cuscuz de arroz e um bolo frito que nos fazem voltar à infância. Outro exemplo, e o mais importante, é a igreja matriz que fica ao lado de minha casa, sempre como uma boa vizinha e um apoio espiritual. Morar no mesmo lugar em que me criei parece ser relatar partes de minha vida no presente, sinto um gosto de coisas do passado por ele parecer tão presente nas minhas lembranças. Talvez não esquecer do passado por isso seja uma das maiores dádivas da minha vida...

EMANUEL NASCIMENTO
Ex-vereador
Funcionário Público Federal 
(Filho do Ex-prefeito Josenil Bezerra Nascimento)

2 comentários:

  1. Francisco Araujo Braga (Kikiu)22 de março de 2014 20:25

    Emanuel, você esqueceu de falar da minha pessoa, pois eu também participava da pelada no patamar. Lembro-me muito bem dos dias que eu ia passar na tua casa e da preocupação que a Dona Sinhá tinha com os teus amigos. E você é um privilegiado, pois eu gostaria ao menos de morar em Pedreiras.

    ResponderExcluir
  2. Emanuel, se Deus me desse uma casa no céu e outra onde você sempre morou, eu alugaria a casa do céu e iria morar na casa em que você mora.

    ResponderExcluir

Pedras Verdes, Pedreiras, MA, Brasil.