PRESIDENTE DA OAB DO MARANHÃO VISITA A CIDADE DE PEDREIRAS


Poderia ter sido uma visita de cortesia com a finalidade de reencontrar os caríssimos colegas de Ordem e desejar aos mesmos um feliz ano novo, ou quem sabe, para uma confraternização e celebrar com sucesso o trabalho dos advogados no ano de 2013. 

Em detrimento ao fato desagradável que aconteceu entre a Polícia Militar de Pedreiras e alguns advogados locais, a vinda do presidente da OAB do Maranhão, Dr. Mário Macieira teve outra finalidade, que aos olhos da Ordem, uma razão não agradável. 

O encontro do presidente da OAB do Maranhão, Dr. Mário Macieira com os advogados de Pedreiras e a presença da imprensa local se deu na sala do júri do Fórum e, contou com a presença em massa dos advogados: Jamys Robson, Júnior Queiroz, Deniz Queiroz, Maria do Hélio, Hervércio Nascimento, Alison Medeiros, João Alberto, Edivaldo Santos, Claudeci Silva, Igor Lacerda, Sérgio Benígno, Guilherme Mendonça, Adalberto Júnior, Jofran, James, Lawandy, Eduardo Fernandes, Haroldo Segundo, Fernando Formiga, Eduardo Ferro e Everton Pachêco do Conselho Estadual da OAB e Dr. Gustavo Fonteles, procurador da OAB, que vieram acompanhando o presidente da OAB do Maranhão para dar atenção prioritária a esse caso. 

A reunião teve início às 11h15 de hoje (08), no turno da manhã e teve como finalidade principal a grande polêmica que hoje envolve a Polícia Militar de Pedreiras e os advogados, depois do ocorrido no arrastão que aconteceu em Pedreiras no dia 29 de dezembro de 2013. 

Segundo os advogados Adalberto Júnior, Denis Queiroz e Sérgio Benígno alegaram na reunião a forma truculenta e desrespeitosa com que alguns policiais que estavam de serviço nessa data adotaram com os mesmos ao pedirem que o som automotivo fosse desligado por já está passando das 2h da madrugada. Bom, pelo menos essa é a versão dos advogados, pois até o momento, o fechamento dessa matéria, a Polícia, na pessoa do senhor Comandante ainda não se manifestou para dar esclarecimentos sobre essa questão. 

Dr. Adalberto Júnior iniciou a reunião fazendo uma saudação especial aos nobres colegas advogados, agradeceu a todos pelo apoio que os mesmos vêm dando à causa, numa demonstração de que a OAB de Pedreiras repudia o que eles alegam diante dos fatos ocorridos, que segundo ele, o que a Polícia de Pedreiras fez foi uma atitude arbitrária e desproporcional. Registrou a presença de Dr. Mário Macieira, convidou-o até à frente e passou a palavra ao mesmo. 

Dr. Macieira iniciou suas palavras justificando que ainda não tinha tomado as devidas providências, embora estivesse acompanhando à distância, que o caso requer, devido durante esse período estar em viagem para o exterior, mas tão logo retornar e tomar conhecimento, se colocou à disposição da OAB de Pedreiras para quaisquer providências que já foram e ainda serão tomadas. 

Que ao receber o e-mail de Dr. Adalberto Júnior ainda muito mobilizado e chocado que o que acontecera, viria à Pedreiras constatar “in loco” toda esse imbróglio ocorrido que manchou a imagem da OAB não só de Pedreiras, mas de todo Brasil. Falou que as imagens do vídeo são imagens graves, pelo menos pelo o que ele conseguiu ver, onde tinha um advogado, o Dr. Sérgio, algemado, jogado ao chão, com o rosto voltado para o solo, imobilizado pela polícia militar e havia várias pessoas ao redor que diziam que a pessoa se tratava de um advogado, que ele não era bandido e que não precisava do uso desproporcional de força por parte da polícia e mesmo que o Dr. Adalberto se identificasse dizendo que era presidente da OAB, nessa qualidade também acaba sendo conduzido e por fim, a prisão do Dr. Denis que estava filmando os fatos, algo absolutamente absurdo. Falou que estava ali para emprestar oficialmente a solidariedade do Conselho Seccional da OAB aos colegas que sofreram dessa violência, que ao receber toda a documentação judicial da representação já será entregue ao Dr. Gustavo Fonteles para a execução imediata e autuar em São Luís o mais rápido possível. Vai promover todas as representações junto ao Ministério Público, processo de desagravo público. 

Em dado momento, Dr. Macieira sugeriu todos os presentes se dirigirem ao Comando da Polícia de Pedreiras para tentar uma conversa amistosa com o Comandante Major Maurício, ver o que ele tinha a dizer sobre esse fato lastimável. 

Todos falaram pela boca só que, se o Comandante passou três horas para escrever uma lauda de papel para encaminhar os colegas para a Polícia Civil, então, o mesmo não demonstrou em momento algum que os seus comandados erraram. Pelo o que se percebeu essa ideia ficou abortada de conversar com o Major. 

Outro assunto que foi bastante falado foi quanto a forma que as pessoas, os cidadãos de bem de Pedreiras passaram a ser abordados pela Polícia Militar com a chegada do novo Comandante, onde absurdos estão sendo realizados e até armas estão sendo apontadas pelos policiais, palavras dos advogados na reunião, declarações que o blog tem gravado para qualquer dúvida. 

Terminada a reunião, a imprensa ficou bem à vontade para alguns esclarecimentos junto ao presidente da OAB, Dr. Macieira e Dr. Adalberto Júnior, OAB de Pedreiras. 

Agora é esperar no que vai dar tudo isso!

O blog está aberto e aguarda de forma democrática a declaração da Polícia Militar de Pedreiras.

5 comentários:

  1. Todos os advogados presentes nesse caso, menos o inoxidável ED, será que aí tem dedo do deputado federal simplicio?

    Eu estava presente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E o que tem a ver uma coisa com a outra?

      Excluir
  2. Na minha concepção todos os envolvidos estão errados, se partirmos do pressuposto que se trata de representantes legais da ordem pública.É lamentável mais faltou bom senso tanto por parte dos Policiais quanto dos Advogados.Um representante da OAB deve ter mais zelo e compromisso com os seus representados e um policial precisa ter controle emocional. Este ocorrido só veio corroborar com o atual cenário de DESORDEM que se instalou em Pedreiras.

    ResponderExcluir
  3. O blog está de parabéns pela matéria.

    ResponderExcluir
  4. Parabéns ao Dr. Mário Macieira, e aos demais doutos advogados que se fizeram presente nesse ato não apenas em defesa da classe, mas sobretudo em defesa de todos os pedreirenses.

    ResponderExcluir

Pedras Verdes, Pedreiras, MA, Brasil.