Nem todo calango é labigó


Na intenção de melhor formar opinião sobre a atual conjuntura política municipal, hoje à noite estivemos numa audiência pública promovida pela ONG “Fóruns e Redes de Cidadania de Pedreiras” na Rua Frei Serafim, “Morro do Calango”, no bairro do Engenho, sobre uma problemática antiga dos moradores dali: a constante falta de abastecimento d’água, que humilha e massacra aquela sofrida parcela de nossa população. Foram convidados o Prefeito Municipal, o Ministério Público, a Câmara de Vereadores e a direção da CAEMA, por ofícios devidamente protocolados nos gabinetes dessas autoridades/instituições. Somente o gerente da CAEMA, Roberval Lima, deu as caras por lá. Os demais nem satisfação deram das ausências; com exceção do Secretário Municipal de Administração, Patrício Oliveira, que telefonou na última hora prometendo aparecer no dia seguinte (mas abastecimento d’água não é da alçada da Saúde e/ou Infra-estrutura?). Apenas na condição de observadores estivemos lá, nos vigiando para não nos portar como lideranças ou agentes políticos, sem nos pronunciar, emitir opinião ou participar do debate. E pudemos tirar de lá algumas conclusões interessantes e preocupantes; a saber:

1 – Que o problema é deveras grave e que uma coisa é discutir o problema, e outra é realmente haver condições de resolvê-lo;

2 – Que certamente o problema não será resolvido tão breve e/ou facilmente;

3 – Que a comunidade está invadida por um profundo sentimento de orfandade, desproteção e abandono; sem esperanças de assistência das instituições públicas para suas causas; isto é: para eles lá, mais fácil é acreditar em Papai Noel, Saci Pererê e no Cabeça de Cuia, do que no fato de que alguma autoridade constituída esteja empenhada em ajudá-los; especialmente no governo municipal;

4 – Que a ONG que promoveu o evento vem cumprindo um papel importantíssimo na promoção da mobilização e conscientização popular do verdadeiro papel do cidadão como ator principal da condução do seu próprio destino e agente central de transformação da realidade social do país;

5 – Que as autoridades/instituições têm que ter mais respeito ao cidadão, pois a revolta popular no ambiente pelo fato da ausência e, especialmente, pela falta da mínima satisfação para o motivo da ausência dos agentes públicos convidados, causou-nos a percepção de uma espécie de “síndrome de abandono”, “sensação de valor nenhum como cidadão”, “sentimento de total desprestígio” nos populares lá presentes;

6 – Que o gestor local da CAEMA foi corajoso e responsável em abrir-se plenamente para o debate, assumir a total responsabilidade do órgão pelo problema e pela solução, inclusive tentando descomprometer o Prefeito e o Ministério Público com a problemática e a ausência, apesar de ter sido algo inconseqüente em algumas de suas colocações;

7 – Que no nosso entendimento a população tem cumprido o seu papel de lutar, envolver-se e acreditar votando naquilo que representa o “novo” e a possibilidade de transformação e mudança, mas são os agentes políticos e públicos que têm a obrigação de corresponder a esse anseio popular que não têm cumprido seu papel;

8 – Que a ausência da Prefeitura e do Ministério Público impossibilitou a viabilidade de encaminhamento de soluções para o problema, pois as medidas paliativas e emergenciais carecem do comprometimento do governo municipal num Termo de Ajustamento de Conduta-TAC que a Promotoria poderia realizar para o caso;

9 – Que o problema tem origem geográfica e solução técnica difícil, ou melhor, que demanda investimentos financeiros vultosos do governo do Estado e que a CAEMA não tem como resolver isso a contento nem a longo prazo;

10 – Que esse caso vem sem solução já de vários governos anteriores e é de responsabilidade estrita da CAEMA, conforme o próprio gerente assumiu na ocasião; porém todo candidato a prefeito em campanha foi lá e se comprometeu a resolver sem responsabilidade, obrigação e condições para tanto, atraindo para si após eleito a rejeição popular pela inconseqüência de ter assumido aquilo que não era de sua competência.

O problema maior, entendemos nós, está além da mera falta d’água. E se estende para além do “Morro do Calango”. Ele reside no fato da negativa do debate, do medo de aceitar e ouvir o outro, da não constatação da necessidade de ouvir a voz do povo e aceitar a crítica e a presença da divergência e o direito a reivindicação como formas de se construir uma sociedade melhor e um governo eficaz, da falta de humildade e compromisso com o acerto, da não percepção de que o governo deve e tem a obrigação de se comunicar com a sociedade de forma eficiente e contínua, por parte dos agentes políticos investidos de poder e mandato, governos e instituições.

A ONG “Fóruns e Redes de Cidadania de Pedreiras” vem cumprindo brilhantemente seu papel de oposição responsável, propositiva, de compromisso para a construção de uma sociedade melhor. Diferente da outra oposição, esta balizada no ódio, no ressentimento, na inveja, aquela do “quanto pior melhor”, esvaziada de propostas e de autoridade moral para tanto, pois sua passagem pelos governos anteriores a condena pela omissão no acerto e conivência no erro, já que busca apenas se locupletar do poder para a satisfação de seus interesses pessoais, políticos e empresariais escusos.

Como bem disse lá uma popular: “insistir, persistir e jamais desistir”. Está aí o segredo da vitória e do sucesso.

Luis Henrique e Allan Roberto              

9 comentários:

  1. vejam só o louco do dr alan e o traíra do henrique pedras escuras esse cara nao sabe que lado ele fica uma hora ele elogia depois ele ja vai e mete a língua no sec de administração, e tudo pra agradar o idiota do zé luis o senhor das cartas mentirosas acorda henrique te situa se tu ta no governo ou contra ele

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. acho q tu num sabe é ler cara. Lê de novo e entenda direito o q eles escreveram q tu pode entender a importancia do q foi dito. e tu deve ser muita coisa mermo pq pelo q tu diz ninguém presta, um é doido, o outro traira e outro idiota. e tu é o q mesmo? babão e burro pq nem ler e interpretar texto sabe pq entendeu tudo errado. e covarde pq os 03 q tu agrediu tem coragem de assinar o que escrevem e tu se esconde no anonimato. e discordar num quer dizer está contra seu imbecil. te manca doido, idiota, babão e traira de si mesmo.

      Excluir
    2. esse babão deve ser aquele pau mandado da Sisdei, o edimilson lima. ele é qui faz esse serviço sujo com todos em nome e a mando dela. Futuro triste pra ele e pra ela qui acabam o governo do totonho e se acham melhor e maior qui os outros. abre o olho prefeito que esse povinho que te baba num quer teu bem não. amigo é aquele qui mostra aquilo qui precisa ser muidado. só falta agora ela botar esse babão no lugar do roberte lemos, qui é o qui ele quer e purisso faz assim, serviço sujo.

      Excluir
    3. É, uma coisa é ter opinião própria e se sentir livre como o henrique é e se sente. diferente desse anonimo babão que ou se vendeu por muito pouco e aliena sua mente por um empreguinho de prefeitura. o henrique tem dr, cara, é inteligente e não se vende nem é escravo mental de governo não como tu.

      Excluir
  2. Estar no governo não é vender a caneta e nem alugar a alma para o diabo, ao contrário, pois fazer parte, é ter a capacidade de ver mais de perto e precisão as deficiências e ter a coragem de relatá-las como quem quer mais ajudar do que ser traíra ou falar mal.

    E tem mais: uma coisa é o Senhor Henrique, um cidadão inteligente, trabalhador, quem tem uma origem digna e que sem ser das letras e da área de comunicação ou jornalismo, foi o único capaz de causar uma revolução tremenda em Pedreiras e região que ainda hoje abala os quatro cantos da cidade, que fora a criação de um blog, o Pedras Verdes, que a cada dia cresce e incomoda esses babões covardes que se escondem atrás dos pseudônimos.

    A prova de que tem personalidade é que assina os seus escritos, ao contrário de muita gente que não o faz.

    A matéria está perfeita e servirá como uma alerta reflexiva para o governo e todo seu secretariado e, fora isso, amizade e considerações à parte.

    Prof. Conceição Silva

    ResponderExcluir
  3. Babão a gente conhece até pelo odor fétido que eles exalam e, pelo fedor que tem esse comentário desse anônimo sem escrúpulo, em chamar doutor Allan de louco, com certeza é mais um dos que vivem correndo atrás do prefeito sem ter nenhuma moral ou personalidade.

    Hemorródia Lpatus Ekus

    ResponderExcluir
  4. ADOREI A VOLTA DE DR. ALLAN ROBERTO, ESSE TEM CORAGEM E SABE DIZER O QUE O POVO DE PEDREIRAS NÃO SABE EXPRIMIR COM PALAVRAS. FICAMOS NA TORCIDA PARA QUE DR. ALLAN NÃO, MAS NOS ABANDONE, POIS DEUS TEM UM PROPÓSITO DE VIDA JUNTO À COMUNIDADE PEDREIRENSE.

    ResponderExcluir
  5. Se a matéria me elogia não sei não vi meu nome citado o que vi foi apenas minha foto, mas confesso que gostei da matéria retratou o que de fato o Movimento Fóruns e Redes de Cidadania de Pedreiras e do Maranhão está propondo que é um amplo trabalho de despertar nas população menos favorecidas ou seja esquecidas e que só são lembradas em tempos de eleições .infelizmente este governo está cheio de certo almofadinhas que não saem da freiezinha do ar condicionado de suas salas se tornado assim mais frios ao clamor social, Ficam querendo atender o povo por uma simples ligação de celular deixando no povo aquela péssima impressão de mais uma TIM enganei. O movimento Foros e Redes tem incomodado e vai incomodar muito mais ainda, ( José de Sousa Luiz) Membro do Movimento Foros e Redes de cidadania de Pedreiras Residente e domiciliado na Avenida Otávio passos, 132 - Goiabal de celular nº 81637533

    ResponderExcluir
  6. VER. ANTONIO FRANÇA27 de outubro de 2013 18:22

    Olhando o que foi escrito por duas pessoas inteligentes, eque ao expôr o que foi visto na comunidade venho lamentar que a Câmara de pedreiras não tenha sido convidada, e em particular a minha pessoa; pois gosto de participar de todas as discussões que envolva nossa comunidade . Tenho conhecimento do grande problema que existe no" Morro do Calango" e por varias vezes estive na CAEMA buscando respostas; até o momento não recebidas e gostaria muito de participar pois tenho certeza que não só como vereador; mais como pessoa comum também tenho alguns pontos de vista que possa ajudar .Vejo com grande tristeza a maneira que é conduzida " Nossa Caema"onde temos água com fartura e ao mesmo tempo o povo de nossa cidade sofrendo com a falta dela ;, dias atrás tivemos uma reunião Executivo Legislativo e Caema para tratarmos sobre estes problemas que existe em nossa cidade e tivemos uma longa discussão saindo de lá com a esperança de algo que seria feito pela atual gestão e acreditando que não seja mais um Gerente apadrinhado por um politico de grande influência no Estado e que usa nossa cidade para dar emprego para os seus .Nòs temos que brigar não só para e água nos locais mais difícil ,defendo que possamos colocar alguém de nossa cidade que conheça e defenda os nossos interesse . A caema de pedreiras sustenta toda esta região com recursos nossos , não presta conta com a nossa comunidade e tirando proveitos do nosso Rio sem oferecer nada nem mesmo um serviço de qualidade.Venho parabenizar ao Movimento Fórus e Redes por suas ações e colocar-me a disposição para discussões e lutas sei que o movimento não é Partidário ,mas sou amigo de todos os movimentos que venha contribuir para um sociedade melhor. um abraço ver. ANTONIO FRANÇA

    ResponderExcluir

Pedras Verdes, Pedreiras, MA, Brasil.