POLYARTE: O GURU DA GASTRONOMIA MARANHENSE



 

 Por: Dunnas do Maranhão
Jornal e TV Gazeta de São Luís/MA.

            É lamentável que uma grande parte das pessoas quando vão se referir à cultura de um determinado lugar tem em mente, de início e de forma piegas, somente a questão da música e da poesia do local que se refere. Por exemplo, em Pedreiras, para muitos, a cultura está estereotipada e direcionada exclusivamente para os poetas e os cantores da cidade; verdade distorcida e muito perigosa para as futuras gerações.
            Em detrimento disso, laico, esquecemos que cultura é algo muito mais abrangente e, muitas cousas que fazem parte da nossa cultura estão diante dos nossos olhos e, nem sempre temos a consciência de que ela está presente em quase tudo no nosso dia-a-dia.
            Quando colocamos nossas indumentárias; quando calçamos nosso sapato, tênis ou sandália; quando sentamos ao redor da mesa para saborear uma deliciosa comida estamos vivendo um verdadeiro processo cultural; pois, tudo isso faz parte da nossa cultura, das nossas tradições e dos nossos costumes.
            Temos notado que na cidade de Pedreiras, nos últimos anos, tem crescido muito a quantidade de estabelecimentos no ramo da gastronomia – a Praça do Jardim é a prova disso -, fato que só vem comprovar o crescimento da cidade em várias nuances e demarcá-la como um verdadeiro pólo da região do médio Mearim.
            O artista está para a arte, assim como tudo que tem vida necessita de oxigênio para sobreviver. Um não vive sem o outro. E vice versa.
            A nossa crônica de hoje, embora tenha um contexto cultural diferenciado, não vem falar de poesia e música, mas pretende falar de algo que também é muito importante para a nossa cultura – a gastronomia.
            Destarte, falaremos do amigo Polyarte, essa pessoa popular, uma figura notável, que por vários anos vem se destacando na cidade de Pedreiras como o maior especialista no ramo da gastronomia. Não é à-toa que a sua fama de guru da gastronomia maranhense já tem corrido os quatro cantos do mundo, graças à oportunidade que tivera de conhecer grandes personalidades do meio político, empresarial, artístico e jornalístico.
            Quem vem à cidade de Pedreiras e não passa no BAR DO POLYARTE para saborear uma carne, um arroz e a famosa caldeirada de peixe preparadas por ele, não sabe o melhor da cultura gastronômica que tem essa cidade.
            E, ao chegar a Pedreiras, não é difícil encontrar o seu estabelecimento; localizado na esquina da Rua Miguel Atta com a Rua Eurico Ribeiro, no coração da cidade. Um recinto de encontro de verdadeiros amigos, no qual a tranquilidade, o lazer, o humor, as conversas políticas e tudo que acontece na cidade, você pode ficar bem informado no Bar do Polyarte.
            Se Polyarte não sabe cantar e nem fazer poesia, isso não significa que ele não seja um artista. É artista sim, um verdadeiro maestro, um excelente profissional capaz de surpreender com os diversos pratos e sabores que só ele é capaz de fazer. E tem mais, que isso fique registrado para a posteridade: Polyarte, além de ser um fino artesão, pois por vários anos trabalhou na recuperação e conserto de cadeiras de palhinha, trouxe consigo o dom para cozinhar e aprender diversos sabores de pratos como ninguém.
            Várias pessoas famosas que passaram por Pedreiras, não saíram da cidade sem que saboreasse uma deliciosa comida com o tempero de Polyarte: o pianista Artur Moreira Lima quando veio fazer uma apresentação em Pedreiras, se encantou e quis levá-lo na turnê que fazia pelo Brasil; Zé Cirilo, o maior jornalista e comunicador do Maranhão quando vem de São Luís a Pedreiras faz questão de almoçar e jantar a caldeirada de peixe do Polyarte; Tom Kleber, cantor maranhense, hoje radicado em Goiânia, quando chega a Pedreiras, mesmo se hospedando na casa do seu amigo e compadre Paul Getty, sem cerimônia chama o cicerone do lado, e diz: “Compadre, não me leve a mal, casa e dormida, mas a comida tem que ser a do Polyarte.” E para não perder o amigo e o compadre, Paul Getty liga para Polyarte e deixa tudo encomendado. Cantores e músicos como Roberto Ricci, Elizeu Cardoso, Wilson Zara, Zé Lopes, Paulo Piratta, Josias Sobrinho, Daffé, Luiz Júnior, Tutuca, Kosta Neto, Luiz Carlos Dias e muitos outros, quando vem de São Luis realizar algum trabalho em Pedreiras, passam pelo Bar do Polyarte.
            Em 2013, o Bar do Polyarte estará fazendo 10 anos de história e, uma vasta programação já está sendo projetada pela empresa de eventos JF. PRODUÇÕES, que a convite do proprietário do Bar - o Polyarte -, já a convidou para a produção do evento.
            Até lá, muita água do Rio Mearim ainda passará por baixo da ponte Theago Costa. E, enquanto isso vamos viver cada momento de alegria e arte no Bar do Polyarte. 

5 comentários:

  1. Fico feliz em ver o meu amigo sendo reconhecido por um blog de grande relevância hoje no Brasil. Essa matéria só tem a torná-lo reconhecido em todo o mundo e dar-lhe o verdadeiro valor que Polyarte tem como um amigo, pai de família e um cidadão pedreirense.

    Genilson/Goiânia

    ResponderExcluir
  2. nossa senhora esse peixe ai eu comia todinho, o peixe do poli é de primeira linha

    ResponderExcluir
  3. Finalmente alguém de fora veio aqui e viu o valor da nossa terra em outras forma e divulgou e porque esses artistas daqui só falam em musica e poesia.

    ResponderExcluir
  4. assaltado pelo poliate2 de junho de 2012 00:48

    Essa desgraça é muito é ladrão!!!!

    ResponderExcluir
  5. Peixe como qualquer um não tem nenhuma novidade!!!!

    Deveria era atender melhor e não discriminar quem estar de carro finam. Ou de moto paga, e que não fk devendo em seu butequinho.....

    ResponderExcluir

Pedras Verdes, Pedreiras, MA, Brasil.