A DIFÍCIL ARTE DE DEFINIR PESSOAS

O pequeno texto que ora apresento intitulado A difícil arte de definir pessoas tem como finalidade abordar, em palavras, a personalidade de uma mulher que, como tantas mulheres é constituída de corpo, alma e emoções. 

Definir o ser humano é muito complexo, talvez conceituá-lo seria menos complicado; pois, mulheres e homens são seres mutantes, que sofrem de transformações no comportamento e na personalidade, de acordo com o passar dos tempos, assim quanto tudo que existe e ocupa espaço na Terra, se altera. 

Mas quem é Lúcia de Fátima? O que penso e de que forma vejo essa pessoa no meu dia-a-dia? Confesso que a conheço desde o final dos anos 80 quando a mesma chegara aqui em Pedreiras; e, baseado na amizade e respeito que nos une há bastante tempo é que ouso a escrever algo sobre essa Mulher. 

Ao fazer uma retrospectiva, retornando por caminhos imaginários em um tempo distante, a minha análise social e psicológica me permitiu ver duas Lúcias: a do pretérito e a do presente. 

A Lúcia do passado ainda a tenho na minha memória: senhora, mãe, esposa e com todos os atributos que tem a figura feminina na nossa sociedade contemporânea, ou seja, com todos os aspectos que existem na família tradicional e conservadora. 

Mas o tempo passou, e consigo veio uma nova vida, um novo caminhar com um horizonte diferente a se deslumbrar. 

A minha aproximação com Lúcia se deu quando do seu retorno para Pedreiras, lá pelo o ano de 1998, período que existia o Movimento Cultural Canja na Terça, em que ela gostava de prestigiar as apresentações dos nossos artistas. 

Depois nos aproximamos mais ainda na primeira saudosa campanha eleitoral do Prefeito Lenoilson Passos, em 2004, onde na oportunidade nos tornamos mais próximos, mais amigos e admirador um do outro. 

Quando começamos a trabalhar na Prefeitura Municipal de Pedreiras, aprendi a conhecer através de experiências próprias, uma Lúcia autêntica, verdadeira, que não se cala diante das injustiças, que não manda recado, e isso me fez a cada dia admirá-la mais ainda. 

Indubitavelmente, os caminhos que Lúcia percorreu durante a sua vida fizeram com que ela se tornasse a Mulher que é hoje: livre, experiente, cautelosa e com mais maturidade para discernir o que a vida tem para lhe oferecer. 

Pedreiras (MA), 30 de novembro de 2010. 
Joaquim Filho

8 comentários:

  1. Não vi graça nenhuma no texto da ptista, invente outro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. por que não a conhece se, Somente quem a conhece compreende o texto . tenho o prevelégio de te-la como amiga.não é pra ter graça e sim pra ser admirado e parabens JOAQUIM FILHO pelo belissímo texto.

      ass= LEIDE KATY

      Excluir
    2. Anailda ( MANA )3 de julho de 2012 15:05

      Concordo plenamente, nestas afirmações, sou amiga da Lucia de Teresina há muitos anos, ela é isto mesmo verdadeira, pura e com muito amor para as pessoas, lembro neste momento o que disse Charlie Chaplin " Cada pessoa que passa em nossa vida, passa sozinha é porque cada pessoa é unica e nenhuma substitui a outra. Cada pessoa que passa em nossa vida passa sozinha e não nos deixa só.Porque deixa um pouco de si e leva um pouquinho de nós. Essa é mais bela responsabilidade da vida é a prova de que as pessoas não se encontram por acaso". Joaquim vc foi muito feliz em fazer este comentario da minha amiga Lucia. Parabéns.

      Excluir
  2. Inveja ainda mata um idiota.

    Cristina

    ResponderExcluir
  3. pois eu achei muito sensual, iclusive a pose dela!

    ResponderExcluir
  4. Parabens ... Texto brilhante e a pessoa a cima citada é digna de elogios

    ResponderExcluir
  5. A forma e o teor do texto tá parecendo uma homenagem póstuma!

    ResponderExcluir
  6. So elogia quem nao a conheceu na epoca em que estava no auge juntamente com seu ex esposo henrique na Corcovado isso era arrogante mais talvez o tempo a tenha mudado espero que sim.

    ResponderExcluir

Pedras Verdes, Pedreiras, MA, Brasil.