VOCÊS QUE FAZEM PARTE DESSA MASSA!

FOTO:  MARIANÓPOLIS - MA, ARQUIVO PEDRAS VERDES


“Seu Doutor, uma esmola para o homem que é são ou lhe mata de vergonha ou vicia o cidadão”... 

( Luis Gonzaga – Rei do Baião )

Nenhuma nação é edificada e subsiste mediante esmolas para o povo. Os governantes da antiga Roma insistiram em dar "pão e circo" para sua população, e o resultado foi a degradação moral daquele povo. Todo crescimento saudável na área econômica, social e política provém do trabalho, da perseverança e da disciplina ética e moral.

A político paternalista, parte do princípio de se tirar proveito da miséria dos outros e dela aparecer como o salvador da pátria. É quando ele está ciente da situação do pobre, lhe oferece uma ajuda imediata para diminuir a situação deplorável em que este vive. E quando o faminto encontra esta mãozinha com um prato de comida ou alguns centavos de reais, para “zerar fome” ou decretar a fome zero” sem sombras de duvidas, lhe terá uma infinita lealdade e gratidão.

Já dizia Zé Ramalho, Ê vida de gado! Povo marcado êi! Povo feliz!!!!. A política Paternalista é feita por políticos inescrupulosos que se escondem atrás de uma suposta “capa” para tirar proveito. É ser sujo, e pousar como limpo, é ser fascista e parecer socialista para ser respeitado ou defendido por pseudo socialistas. Não importando suas ações, esses que praticam o assistencialismo estão livres e protegidos de críticas por conta do famigerado jargão que se criou em torno deles“ ele rouba! mas faz!”.

Essa praga cresce e se espalha, na condição deplorável do pobre que tem a consciência roubada, na sua saúde frágil, é na sua escassez de alimento e dinheiro. É uma ação social ilusória, enganadora, parece boa mas é egoísta, pois serve especialmente para promover oligarquias que perpetuam-se e se alternam no poder, instituindo seu regime ditatorial e totalitário, não acaba a miséria pois não lhe é interessante o fim dela, visto que sobrevivem da mesma. A política socialista, prima pela melhor distribuição de renda, visa oportunidades onde o pobre possa ser capaz de suprir suas próprias necessidades com condições básicas de dignidade humana através de seu próprio suor.

Se não houver meios de se fazer uma política limpa, onde os princípios de dignidade seja para todos os cidadãos, viveremos presos às vontades das classes dominantes que não se mobilizam para o fim da miséria camuflada com o Bolsa-Família de 1,12 reais, preferindo instalar no pais o Bolsa-Corrupção( Mensalão) pagando 150.000,00 ou cento e cinquenta mil reais para os deputados do esquema para aprovar as medidas do governo inclusive bolsas sociais. É preciso livrar-nos desta pratica e termos a consciência de que o assistencialismo como promoção eleitoreira é um câncer social avassalador que deve ser arrancado da política, da sociedade e da consciência do eleitor.

É no entanto dar ao homem, não o peixe, mas ensiná-lo a pescar lhe dando condições para que este adquira sua verdadeira liberdade. A política justa, parte do princípio onde as pessoas não tenham que viver de esmolas, mas que tenham condições auto-suficientes para suprir o mínimo de suas necessidades com dignidade e trabalho. Abaixo essa política assistencialista com sua hipocrisia podre e egoísta, política insana que sobrevive da famigerada miséria de seu povo!

José Luiz

É escritor e poeta da Confraria das Letras Corrêa de Araújo

5 comentários:

  1. ACORDA, ZÉ!

    O texto está muito bem escrito: coerência e coesão. As palavras estão bem colocadas que até causou inveja à semântica. O enrêdo, excelente, muito bom. Textos como esses nos fazem lembrar grandes escritores e profundos conhecedores de Língua Portuguesa da nossa terra: Kleber lago, Dr. Allan Roberto, Professor Romildo, Professora Francisca Bulhão, Professor Geraldo Melo (the best), Wescley Brito (prince of poets) e Paul Getty.
    Mas para a minha grande surpresa e decepção, o texto é assinado pelo José Luíz, o Zé Luís, o Zé... mais um entre tantos que tem nesse desgoverno. E, por "ser" do Zé, eu duvido que esta redação não tenha sido garimpada por quem conhece a nossa ÚLTIMA FLOR DO LÁCIO.
    Sim, deixemos a questão "perfecte" da Língua e vamos ao que interessa:
    Entraremos agora para a questão ideológica do texto e do pensamento do rapaz.
    Inicio perguntando ao "moço", se ele sabe em que mundo está vivendo? Que história é essa de acender uma vela para Deus e outra para o Diabo?! Será se quem está se beneficiando desse governo tem moral ou credibilidade para falar de assistencialismo, mensalão, corrupção, "PÃO E CIRCO" ou o diabo a quatro?
    Prudens in loquendo est tardus.
    Se eu fosse você, Zé Luíz, eu ficava bem caladinho, pois as pessoas que acessam esse blog não são tapadas, a cidade é pequena e todos sabem quem são os figurões desse governo. Todo mundo sabe quem mama sem fazer nada. Não foi à-toa que você foi classificado como Vida Mansa.
    Zé, quer um conselho?
    Faz como Samuel Barrêto: fica bem caladinho só mordendo nas beiradas.
    É difícil agora você passar uma imagem de esquerda, intelectual, poeta a serviço da moralidade e dos bons costumes. Todos vocês se perderam na história e enlamearam vossas poesias.

    P.S. Ah! Se quiser responder, fica à vontade, Zé, nós vivemos num país democrático.

    Antonio Carlos Amarante

    ResponderExcluir
  2. Concordo absolutamente com seu ponto de vista, realmente um texto muito bem escrito mas, na prática a teoria é outra.Para justificar vou utilizar parte do texto,Já dizia Zé Ramalho, Ê vida de gado! Povo marcado êi! Povo feliz!!!!.A exemplo disso cito o carnaval de Pedreiras e a violência simbólica realizada com o nosso povo que paga para participar do "CARNAVAL DO POVO".Para endossar seu comentário Conclusões de Aninha.
    Cora Coralina


    Estavam ali parados. Marido e mulher.
    Esperavam o carro. E foi que veio aquela da roça
    tímida, humilde, sofrida.
    Contou que o fogo, lá longe, tinha queimado seu rancho,
    e tudo que tinha dentro.
    Estava ali no comércio pedindo um auxílio para levantar
    novo rancho e comprar suas pobrezinhas.


    O homem ouviu. Abriu a carteira tirou uma cédula,
    entregou sem palavra.
    A mulher ouviu. Perguntou, indagou, especulou, aconselhou,
    se comoveu e disse que Nossa Senhora havia de ajudar
    E não abriu a bolsa.
    Qual dos dois ajudou mais?


    Donde se infere que o homem ajuda sem participar
    e a mulher participa sem ajudar.
    Da mesma forma aquela sentença:
    "A quem te pedir um peixe, dá uma vara de pescar."
    Pensando bem, não só a vara de pescar, também a linhada,
    o anzol, a chumbada, a isca, apontar um poço piscoso
    e ensinar a paciência do pescador.
    Você faria isso, Leitor?
    Antes que tudo isso se fizesse
    o desvalido não morreria de fome?
    Conclusão:
    Na prática, a teoria é outra.

    ResponderExcluir
  3. Nossa, impressionante o nível intelectual das pessoas que comentam nesse blog. Pena que os imbecis não entendem comentário profundo como esse e vão para o mural comentar bobagem e ofender pessoas de bem. Parabéns, amigo!

    Walmir Costa

    ResponderExcluir
  4. Dr. Allan Roberto28 de maio de 2012 22:24

    Caro amigo Zé Luiz, concordo plenamente com o texto e sua idéia. Mas, cara, o assistencialismo não se pratica apenas com o remédio, a conta de luz, o milheiro de tijolo, a cesta básica e outras situações afins que estamos acostumados a ver no nosso cotidiano miserável não. O que esse desgoverno que você participa faz com os servidores contratados e comissionados é puro assistencialismo e até pior, é semi-escravidão, pois ameaça, retalia, demite se usarem do livre arbítrio que Deus deu, humilha se usarem da liberdade de expressão que a Constituição Federal garante e outras crueldades mais simplesmente porque os pobres coitados dependem do emprego para viver... e até com efetivos/concursados aterroriza se não fazem o que "seu mestre mandar". Até para ganhar eleição usa do assistencialismo no emprego, que dá-se o nome de empreguismo. Costumo dizer que o Prefeito daqui se auto-intitula Deus porque consegue se achar no direito de tirar dos servidores públicos municipais o livre arbítrio que Deus deu a todo ser humano de até blasfemar contra ele; e que o mesmo se julga acima da lei e da ordem e do bem e do mal, porque rasga a Contituição Federal tirando dos pobres servidores a liberdade de expressão que a Carta Magna garante. Sei de casos tristes. Tem personagens pictóricos nesse governo como uma tal Clotilde que entrará para a história como uma "Dona Solange" da época da ditadura que tanto aterrorizava os artistas com sua tesoura da censura. O Lima já demitiu médico porque reclamou do desconforto do repouso médico. E assim, Zé Luiz, tudo isso é usar a máquina para fazer assistencialismo com o emprego como favor em troca da permanência silenciosa e obsequiosa do compromisso com os desmandos governamentais e suas demandas eleitorais. E você faz parte disso, meu amigo Zé. Ou você já disse ao seu padrinho de crisma Lenoílson que ele governa errado e que no seu governo tem corrupção e opressão?
    Mudando de vertente. O negócio é pior: o prefeito por assistencialismo tem que ser aliado do governador e a maioria dos deputados estaduais também para ter benesses do governo estadual para suas bases eleitorais. Os governos estaduais por sua vez têm que ser aliados do governo federal por assistencialismo para ter direitos a verbas deste para seus estados e por conseguinte a maioria da bancada federal e senatorial de cada estado para conseguir emendas e beneficiar suas bases eleitorais... e por assistencialismo o Brasil vai indo... do miserável lá da roça mais extrema, à liderança comunitária que se liga ao vereador, que é aliado do prefeito, que é aliado do governador... E está tudo dominado!!!

    ResponderExcluir
  5. Se você é capaz de tremer de indignação a cada vez que se comete uma injustiça no mundo, então somos companheiros.
    Che Guevara
    ... de "longe" acompanho todas estas ATROCIDADES supracitadas por Dr. Allan Roberto e, percebi analisando a legitimidade do seu texto Zé, que talvez a maior de todas elas tenha sido amordaçar os poetas,intelectuais... NÓS que fazemos parte dessa massa estamos de braços cruzados, de boca fechada e de cabeça vazia, assistindo líderes matar seus liderados pela alma.Realmente, está tudo dominado!!!
    Ainda de acordo com Che Guevara;"A culpa de muito dos nossos intelectuais e artistas reside em seu pecado original; não são autenticamente revolucionários."

    ResponderExcluir

Pedras Verdes, Pedreiras, MA, Brasil.