PEDREIRAS, MARANHÃO, BRASIL: NOSSO POVO, NOSSA HISTÓRIA - QUEBRADEIRAS DE COCO BABAÇU


Quebradeiras de coco babaçu, extrativistas, donas de casa, mulheres, mães, avós, esposas, trabalhadoras rurais organizadas pelo MIQCB (Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu), que integra quatro estados brasileiros onde há ocorrência de palmeiras de babaçu: Maranhão, Tocantins, Pará e Piauí.

Acreditam que, a partir da nossa articulação no Movimento, podem conquistar melhores condições de vida e de trabalho, bem como garantir seus direitos enquanto cidadãs.

História

Os movimentos sociais que agrupam as chamadas quebradeiras de coco babaçu nascem de forma organizada a partir da segunda metade da década de 80, num processo de enfrentamento de tensões e conflitos específicos pelo acesso e uso comum das áreas de ocorrência de babaçu, que haviam sido cercadas e apropriadas injustamente por fazendeiros, pecuaristas e empresas agropecuárias a partir das políticas públicas federais e estaduais para as regiões Norte e Nordeste.


Nesse sentido, buscamos garantir o controle das áreas e da produção, agregando valor aos produtos e visando a competição no mercado.

Desde 1990, nós, quebradeiras de coco dos quatro Estados: Maranhão, Tocantins, Piauí e Pará, começamos a nos reunir para discutir os problemas e as propostas de melhoria no trabalho.

Em 1991, a Articulação das Mulheres Quebradeiras de Coco Babaçu, assim denominado até 1995, organiza o primeiro Encontro Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu, em São Luís. Já em 95, nasce o MIQCB (Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu), o qual está possibilitando até hoje a nossa organização.

A nossa nova identidade emerge segundo condições que foram sendo construídas e representam ações localizadas, embora com diferenciações econômicas internas entre si.

Atualmente, buscamos mobilizar representantes de governos federal, estaduais e municipais para debater alternativas de desenvolvimento para as regiões de babaçuais.

O Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu atua nos quatro estados: Maranhão, Piauí, Pará e Tocantins, em forma de regionais.

No Maranhão, o MIQCB tem uma sede na capital São Luís, que fica localizada à rua Nascimento de Moraes (ou Rua 1), 437, bairro São Francisco e ainda conta com três regionais, sendo uma na Baixada Maranhense (no município de Viana), outra no Médio Mearim (em Pedreiras) e ainda outra em Imperatriz.

O MIQCB ainda conta com uma regional em Tocantins (Bico do Papagaio), outra no Sudeste do Pará (São Domingos do Araguaia) e ainda outra no Piauí (Esperantina).


PRODUTOS


 
Azeite de Babaçu

Resultado de uma atividade extrativista 100% natural e 100% artesanal, o azeite de babaçu possui uma qualidade superior aos óleos fabricados industrialmente e pode ser utilizado em pequenas quantidades na alimentação diária.

Sua cor pode variar de um tom mais claro a um mais escuro dependendo da forma como é extraído, mas seu cheiro e sabor característicos sempre proporcionam um delicioso gosto de amêndoas torradas.

Nas questões fitoterápicas, o azeite de babaçu ainda pode ser utilizado como purgante ou xarope.

Carvão de Babaçu

Produzido sem a derrubada da palmeira, ou seja, a partir da casca dos cocos babaçu que caem naturalmente e são colhidos pelas quebradeiras, este carvão vegetal contribui com a preservação da natureza.

Utilizado como fonte de combustível e de outros produtos de aplicação industrial, como etanol, metanol, coque, ácido acético, carvão reativado e alcatrão, o carvão de babaçu possui 80% de carbono fixo e excelente qualidade quanto ao seu poder calorífico e à sua pureza, revelando ausência
de substâncias indesejáveis, tais como o enxofre. Pode ser encontrado em embalagens de 05 kg para o uso em churrasqueiras residenciais.
Sabonete de Babaçu

O sabonete de babaçu é produzido pelas mulheres quebradeiras de coco de forma artesanal e sem uso de aditivos.

Composto por açúcar, soda neutralizada, essência e 100% de óleo de babaçu, este produto tem alcalinidade controlada e possui uma alta taxa de saponificação, qualidade que determina uma melhor limpeza e hidratação da pele e dos cabelos. 

Especialistas ainda chamam a atenção para seu poder cicatrizante e sua capacidade de conservar a pele sem manchas. De cor branca ou amarelada, o sabonete de babaçu é comercializado em dois tamanhos, 25 e 90 gramas.

Sabão de Coco de Babaçu

Produzido artesanalmente, este sabão é composto por 100% de óleo de babaçu, sem mistura de sebo ou de qualquer outro tipo de produto semelhante. 


Comercializado em barras de 500 gramas e 1 quilo, em cores variadas ou natural, sua fragrância pode ser a do próprio óleo de babaçu ou de outras essências como eucalipto, pinho sol, jasmim e lavanda. O sabão de babaçu tem um excelente rendimento, especialmente, para lavar roupas, louças e alumínio. 

Farinha de Babaçu

Rica em amido, vitaminas e sais minerais, a massa de babaçu pode ser utilizada em bolos, tortas, vitaminas e sucos de frutas.

Também conhecida como mesocarpo de babaçu ou simplesmente pó de babaçu, essa farinha possui propriedades anti-inflamatórias e analgésicas, portanto é indicada para o tratamento de reumatismo, artrite reumatoide, úlceras, tumores e inflamações em geral, especialmente, no útero e ovário. Rica também em fibras, a massa de babaçu ainda é recomendada na prisão de ventre e colite.
Artesanato de Babaçu

O artesanato produzido pelas mulheres quebradeiras de coco é feito essencialmente com a palha da palmeira de babaçu.

São bolsas, jogos para pratos, esteiras, abanos, cestaria em geral, chapéus e peneiras, que por vezes ainda ganham um refinado acabamento feito com a fibra do buriti.

A partir da riqueza e da diversidade florestal das regiões onde vivem, estas mulheres também produzem colares, pulseiras e brincos. Biojóias feitas do endocarpo do babaçu e de sementes variadas como caqui, olho de boi, buriti, pajubão, pajubim, açai, bacaba , feijão brabo, fedegoso e jatobá.

  
  
  

ESCRITÓRIOS REGIONAIS
Regional do Mearim

Coordenação Executiva: Maria da Silva Ferreira
Assessoria Técnica: Francinete Santos Braga
Contatos: (99) 3642-0995 ou regionalmearim@miqcb.org.br
Regional de PEDREIRAS
Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Pedras Verdes, Pedreiras, MA, Brasil.